sábado, 12 de março de 2011

Talvez a manifestação num pós-carnaval não tenha sido pura coincidência

Não estive lá. Pus o assunto em dia agora pela net e o que mais que chamou a atenção foi simplesmente a quantidade de vezes que isto foi dito "estava lá tudo alegre, a beber e a conversar, parecia um segundo carnaval quando se tratavam de assuntos sérios". Ora, na verdade estes comentários até nem me espantam. A manifestação foi convocada não por um assunto sério mas de extrema gravidade: sim até somos uma geração (um pouco) à rasca. Mas esta nossa geração que vai para estes locais e vai fazendo as suas actualizações em telemóveis de última geração, tirando fotos com cameras no último grito da moda, que protesta porque não tem dinheiro suficiente para ir passar todas as férias ao estrangeiro, vestir roupas de marca dos pés à cabeça todos os dias não me parece que esteja no sítio certo. Talvez uma aulinha de poupanças e descer à realidade seja o mais adequado. Aqui e literalmente não deviam estar jovens que gastam todos os seus rendimentos para parecer bem e ser "melhor" que os amigos. A geração à rasca é aquela que como eu, desde que paga (todas) as suas despesas, teve que prescindir das compras semanais, andar mais a pé para poupar na gasolina e dar prioridade àquilo que realmente é importante. A geração à rasca, não é aquela que se apelida de muito independente, mas depois são os pais que pagam as contas. Como o Pedro Boucherie disse nesta entrevista, crise há em África, porque enquanto houver o estilo de vida que há no nosso país, a mim ninguém me leva em falinhas mansas.

3 comentários:

L'Enfant Terrible disse...

Muitos estão de barriga cheia e muitos mais vão engordar à custa desta manifestação.

Judia disse...

Com mentalidades destas nunca iremos melhorar...

Rita G. disse...

Crise é ter uma família para sustentar e ganhar uma miséria, não é não ter dinheiro para comprar roupas e sair à noite...bj