quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Margarida Rebelo Pinto

Sabem aquelas comichões que aparecem assim sem aviso, de repente e com tendência para ir piorando? É mais ou menos o que se tem sentido por aqui, a propósito não desta crónica, não sobre as críticas da mesma, mas sobre a crítica à própria da autora.
Esmiuçemos o caso. A Margarida Rebelo Pinto é o que é, como toda a gente. Amada por uns, odiada por outros, sendo que já deviamos nascer com o ensinamento de que nunca se irá agradar a gregos e troianos. Diz umas coisas acertadas de vez em quando, outras que o melhor era ter escrito num diário e guardá-las a sete chaves numa gaveta perdida algures num sotão esquecido pelo tempo. Este último caso aplica-se ao segundo exemplo, mas houve quem achasse que poderia pertencer ao primeiro.
O que me leva a não saber se ria ou ataque a maldita comichão é alguém perguntar (no seu blog claro) de forma tão surpreendida "mas quem é que compra os seus livros?". Uns pequenos dados estatísticos devem servir para responder. Ora se ela vive (só) da sua escrita, talvez queira dizer que venda qualquer coisinha. Ora se é uma das autoras portuguesas mais lidas e com vários best-sellers, talvez queira dizer qualquer coisinha?
Eu nunca comprei nenhum confesso, mas já li. Um que me foi oferecido num aniversário meu por um amigo e dois que me foram emprestados. Se os amei? Não amei, mas gostei. Se são os livros da minha vida? Não, não são, só que às vezes também me aptece algo mais light e descontraído.
O que é que eu achei afinal? Que não são maus. Não senhora. Se algum homem me disser que não gosta nada dos livros, não me vai dar nenhuma novidade. Mas uma mulher...? É que a Margarida é a autora dos clichés e qualquer rabo de saias adora aquelas frases feitas e aqueles pensamentos Romeu-Julieta. Principalmente as que dizem que não. E se calhar, até são essas que gritam, choram e se "descabelam" nos concertos do Tony Carreira. Mas ler um livro destes? Credo, qu'o horror!

21 comentários:

AndreiaS disse...

Eu leio MRP... e gosto! Não tenho problemas em dizer!

Beijinhs***
http://segredos_escondidos.blogs.sapo.pt/

Anónimo disse...

"É que a Margarida é a autora dos clichés e qualquer rabo de saias adora aquelas frases feitas e aqueles pensamentos Romeu-Julieta.Principalmente as que dizem que não. "

Foi feito algum estudo sociológico em torno desta tua afirmação, ou não passa apenas disso: a tua opinião?!" É que garanto-te que somos muitas as mulheres que não apreciamos a sua escrita, ou dos seus clichés. Não é porque TU gostas que temos TODAS de gostar. E as que dizemos NÃO é exactamente isso que sentimos: nao gostamos da escrita dela. Gosto de coisas românticas mas não de foleirice. Desculpa. E sim, gosto do Romeu e Julieta mas não queiras comparar Shakespere a MRP, please. Sê um pouco mais humildade não é porque tu gostas que temos todas de gostar.

"E se calhar, até são essas que gritam, choram e se "descabelam" nos concertos do Tony Carreira. Mas ler um livro destes? Credo, qu'o horror!"

Ah! Também não gosto do TONY, desculpa!

Malinha viajante disse...

Anónima: Não foi feito nenhum estudo nem é preciso, posso garantir que muitas vezes as que dizem que não gostam são as que no fundo mais gostam! (no geral e como em todos os casos há excepções)

Não comparei nem seria possivel comparar a MRP ao Shakespeare...Caso seja leitora aqui da casa já deve saber que ele é um dos meus escritores de eleição e que adoro todos os filmes sobre o mesmo e as suas obras. Eu referi pensamentos-do-estilo-Romeu-Julieta que era o mesmo que ter dito pensamento-românticos mas da primeira forma gosto mais posso?

Acho muita graça dizerem horrores da escrita dela, ai meu deus, eu nunca jamais em tempo algum mas depois lerem/ouvirem ou escreverem coisas piores (cara anónima aprenda a ler nas entrelinhas sim?
;)

sweetie disse...

Coisas que logo à primeira vista são parvas: as pessoas que vêm logo com 7 pedras na mão à conta de alguém que só porque não ganhou um Nobel é ridículo e os anónimos. Acho muita falta de alcance intelectual condenar os livros dela já que, pelo que li, não dizem nenhuma mentira. Como também acho que quem nem sequer tem coragem pra escrever o nome tem credibilidade pra criticar seja o que for.

Pinkk Candy disse...

como já disse no meu blogue, não me espanta que ela escreva, espanta-me é que há quem publique o que ela escreve e ainda me espanta mais que há quem leia, mas esta é a minha opinião, e vale o que vale.

ainda por cima deixam-na escrever no Sol, quer dizer um livro compra quem quer, agora o Sol publicá-la, só está a denegrir a sua imagem.

eu li o "não há coincidências" há uma data de anos, e só li até ao fim, porque na altura tinha a mania de me obrigar a ler os livros até ao fim. claro que nunca mais tive a ideia de ler alguma coisa mais dessa pessoa. li agora a tão falada crónica que ela escreveu, e vi que para além de escrever livros péssimos (para o meu gosto) essa pessoa (pessoa?!) não vale nada como ser humano.

xx

anf disse...

eu nunca li mas apenas porque ainda não calhou,
mas o que se passa à volta dela agora é pura publicidade,
quem vai sair a ganhar vai ser ela,

fico com a ideia que a blogosfera anda em fase TPM não sei se é o pós férias pós Verão anda tudo com um nervoso miudinho que mete dó, leio criticas más até mesmo ofensas,
está tudo bem?
bjo

Anónimo disse...

Adorei o post Malinha!!E como leitora diária do teu blogue, sabe-se que gostas muito de Shakespeare e Saramago e já leste a MRP qual é o drama?? Estes anónimos estúpidos só sabem criticar mas também aposto que lem coisas muito piores mas se calhar como não são portuguesas são boas!!!Gentinha...
Eu por acaso já li e gostei!
*Beijinhos*
Maria

Malinha viajante disse...

Pinkk: Exacto, um livro é uma coisa a crónica (de bastante mau-gosto como disse no post) é outra. O livro compra/lê quem quer, a crónica também mas com o nome sempre associado ao jornal/revista. De facto, foi surpreendente como o Sol a publicou mas lá está o marketing (seja bom ou mau) funciona ;)
A questão é as pessoas não perceberem se ela vender é igual a as pessoas gostarem dos livros. É matemático...Isto claro sem referir as coisinhas piores que fazem no dia-a-dia, enfim...
Como digo sempre se todos gostassemos do amarelo que seria do azul vero?
;)

Malinha viajante disse...

anf: Detesto esta presunção de certas pessoas quando dissem "ai não percebo como é que ela vende livros, mas quem é que os compra?" que é o mesmo que dizer noutra situação "ai mas quem é que frequenta determinado sitio, eu não ponho lá os pés sou demasiado importante" eu vez de dizer "eu por acaso não gosto da escrita nem dos livros mas se vendem é porque muita gente gosta" ou "eu não vou a determinado sitio porque não gosto do ambiente, não é o meu estilo" vês a diferença?
;)

Poetic GIRL disse...

Eu li vários livros dela até, e tenho ainda alguns em casa. Não vou dizer que não gostei, porque gostei apesar de não serem obras primas, mas lê.se. Apesar que confesso não estou a par dos ultimos lançamentos dela, por isso não posso dar a minha opinião. O que me chocou foi aquela crónica, acho que foi um pouco pesada demais, cheia de algum azedume pelas pessoas mais gordinhas... beijoca

Fapplephill V. disse...

Peço imensa desculpa, mas não aprecio Margarida Rebelo Pinto.

E este tipo de crónicas e de comentários, só me faz ser mais não apreciadora.

Alexandre disse...

Essa crónica das Gordinhas (hum, pronto. e das miúdas giras!) não há gordinhas giras? é completamente, deixa cá ver, interessante!
A Margarida é a senhora mais feminista, sem dúvida alguma, de Portugal!
Diz umas coisas muito provocantes, mas é sem dúvida extremamente inteligente!

█► JOTA ENE ◄█ disse...

ººº
Não foi ela que clonou um livro?

Malinha viajante disse...

Jota: Bom os livros dela (dos que li) são um pouco repetitivos. Acho que tudo "espremido" só dava para dois ou três...
;)

Carla disse...

Não gosto dela nem dos livros,mas os tais clichés de que falas é verdade, podem ser óbvios mas todas gostamos desses "pensamentos-Romeu-Julieta" :)))

Anónimo disse...

Sweetie: não seja tolinha.Eu não desgosto dela por ela não ter ganho um prémio Nobel. Eu nao gosto dela porque acho-a foleira que apenas diz aqueles clichés que as mulheres inseguras necessitam de ouvir. Gosto de coisas românticas mas inteligentes. Nada das baboseiras dela. Cada um tem o seu gosto. Vocês apreciam a escrita dela, acho que fazem bem. Agora nao afirmem é que as que dizem que nao gostam dela, na realidade gostam porque isso é patético.
E a menina devia saber que quem nao tem google account ou blog nao consegue escrever aqui a nao ser através de fonte anonima.

Malinha viajante: a menina nao escreveu nada nas entrelinhas a menina afirmou que "qualquer rabo de saias adora aquelas frases feitas e aqueles pensamentos Romeu-Julieta.Principalmente as que dizem que não". Ou seja meteu tudo no mesmo saco. Se nao sabe escrever o que pensa, páre para pensar antes de escrever.

Anónimo disse...

Maria: Querida ninguém disse que havia drama em ler MRP a menina malinha é que acha que todas temos de gostar da escrita dela.

Os "anónimos estúpidos" de que a menina fala é a própria anónima Maria?

"aposto que lem coisas muito piores mas se calhar como não são portuguesas são boas!!!"
Não se percebeu nada do que a menina queria dizer. Mas aqui vai o que penso: o que é que entende por pior do que a MRP? É que para mim a MRP é do piorio. De qualquer forma fico contente por saber que a menina lê. Já disse que não tenho problema com quem lê MRP apenas nao me identifico.

"Gentinha..." só nesta palavra dá para ver que não tem estudos. Quando se tem capacidade verbal não se precisa de atacar as pessoas. Aliás, a menina nem deve saber o que significa "gentinha"

"Eu por acaso já li e gostei"! Ainda bem que a menina lê, agora falta só aprender a escrever.

Anónimo disse...

Malinha: "Como digo sempre se todos gostassemos do amarelo que seria do azul vero"?
Mas como é que dizes isto se escreves que "a Margarida é a autora dos clichés e qualquer rabo de saias adora aquelas frases feitas e aqueles pensamentos Romeu-Julieta.Principalmente as que dizem que não", nao permitindo que quem nao goste dela nao possa simplesmente nao gostar...nao achas contraditorio.

E a presunção que dizes detestar acabas por usar quando fazes isto.
Gosto do teu blogue, tanto que venho aqui, mas nao me faz sentido assumires que todas temos de gostar dela. Nao gosto. Acho que qualquer pessoa tem o direito a gostar ou a nao gostar de todos os temas. Nao critico nem quem aprecia nem quem desgosta.

Malinha viajante disse...

Anónima: Fico feliz por saber que visita aqui o estaminé e gosta, mas como deve calcular não posso permitir que insulte os meus leitores. Tem toda a liberdade para concordar ou não com o que digo (aqui toda a gente pode comentar porque gosto de ler todas as opiniões), mas quem aqui passa também.

Antes de dizer qualquer coisa leia com atenção:
"Acho muita graça dizerem horrores da escrita dela, ai meu deus, eu nunca jamais em tempo algum mas depois lerem/ouvirem ou escreverem coisas piores (cara anónima aprenda a ler nas entrelinhas sim?
;)"
São estas entrelinhas, ou seja, pessoas que criticam a escrita da Margarida, mas depois só escrevem sobre futilidades, só dizem futilidades, só vivem futilidades e têm gostos (mais-que-)duvidosos...(não estou a referir-me a si pessoalmente entenda-se)

Para terminar sim todas as mulheres gostam destes clichés, destes pensamentos porque nos está na massa do sangue, quer sejam escritos por ela ou por outras pessoas.

Apesar de tudo, espero continuar a tê-la por cá ;)

Anónimo disse...

Continuo sim ;)

WJ disse...

Bom, sobre MRP não li nunca nenhum livro até ao fim, li apenas excertos, visto não ser da literatura que mais me puxa, mas do que li até achei interessante a maneira crua e nua como ela acaba por transpor as suas ideias e a maneira como a autora vê o mundo.. ou seja, ver através dos olhos dela...

Não se zanguem, façam amor não a guerra :)

Boa tarde a todos