quarta-feira, 14 de abril de 2010

"O velho e o Mar"

Santiago e o rapaz vivem na corrente do Golfo. São pescadores. Há mais de oitenta dias sem conseguir pescar, o velho começa a questionar a sua sorte, dizendo que nunca mais pescará nada. Dias depois, parte sozinho, de barco para alto-mar. Um peixe de dimensões jamais vistas, morde o isco. Um peixe que manterá Salvador dias e noites inquieto sem o conseguir vencer. E quando finalmente o derrota, um grupo de tubarões aparece.
Esta obra não é mais do que "a luta titânica do velho pescador com o seu peixe imenso...é uma luta pela vida, lutada em plena dignidade natural. Nada há de sobre-humano nela, que não seja o facto admirável de o homem ser capaz de lutar e de sobreviver para além do que parece ser o legítimo limite das suas forças" (Jorge de Sena).

Só no fim, me apercebi de todo o simbolismo desta simples história. Dei por mim a pensar tal e qual Santiago: nas conversas que tenho para comigo nos conselhos que me dou a mim mesma, nos conflitos interiores sobre o faço-não-faço, é desta-maneira-ou-daquela? Isto para além do não-aguento-mais, já-não-tenho-forças-para-isto...a verdade é que conseguimos ir buscá-las sabe-se lá onde...

6 comentários:

Mariana: Barbie is a bitch darling disse...

ja li este livro quando era mais nova e gostei mt

bj

å½xandra disse...

Temos sempre forças, porque os dias passam e nem mesmo nós na nossa dor ou o que seja de mais pessimista, podemos parar isso tão definitivamente...
Bem, não quando realmente não o queremos, porque há sempre algo que nos faz olhar em frente. *
t.care

san(T)os disse...

nunca li, mas fiquei com vontade!

Anónimo disse...

Obrigada pela sugestão,fiquei com vontade de ler!!Escreves sempre tão bem sobre qualquer coisa...!
*Beijinhos*
Maria

Malinha viajante disse...

Alexandra: So true ;) Há sempre algo pelo qual vale a pena lutar e seguir em frente vero?
Bj para ti*

san(T)os: Lê, a história é simples, acessível e dotada de um simbolismo que pelo menos no fim nos apercebemos realmente.

Anónimo: Ohhh, bigada Maria ;)

J.J. disse...

O poder se aperfeiçoa na fraqueza!!

Bjus

P.S: Pq sumiu do blog? Passa lá depois!