sábado, 13 de março de 2010

Quando me esqueço de deixar os palavrões em casa


Desde pequena que nunca fui de palavrões. Em casa não tinha costume de ouvir e sempre me ensinaram que não ficava bem a uma menina dizer tais palavrinhas. Na escola o cenário mudava de figura. O normal era todos os dias ouvir vários fosse na boca de colegas raparigas ou rapazes. Os anos foram passando e assim, muito de vez em quando, dizia um ou outro.
Hoje em dia, é praticamente o mesmo, excepto quando estou a conduzir. Digamos que existe uma malinha antes e depois de entrar no carro. Quem conhece já sabe o que a casa gasta. Quem não está habituado fica de boca aberta e acha que fico possuída quando ponho as mãos no volante. “A razão?” Muito simples. Enervo-me à séria em determinadas situações e é vê-los sair assim com facilidade.
Hoje já foram dois. Um dos quais, ainda levei com uma buzinadela de alguém que não parou num stop..."Concerteza meu caro, eu é que tenho prioridade, mas é você que não pára e ainda buzina, concerteza!" É caso para me perguntar "mas onde é que esta malta tirou a carta hum?" Das duas uma, ou compraram ou precisam de fazer uma visita ao oftalmologista. Vermelho não é certamente uma cor fácil de ignorar, assim como não é preciso recorrer ao dicionário para ver o significado de stop pois não?
Bem me parecia...


*Antes que perguntem "Ah e tal, mas tu nunca comeste uma infracção?", eu respondo. Já sim senhor. O caso é que as faço quando não há risco, quando não há trânsito em sentido contrário, que não provoque um acidente. Por exemplo, no caso de hoje se eu não tivesse travado a tempo pois que o dito me tinha escancarado o carro.

9 comentários:

Rainbow disse...

Parece que te enervas mesmo a conduzir! XD
Mas é normal, não há problema! Ele há cada um...

L'Enfant Terrible disse...

Eu é ao contrário, é raro enervar-me quando vou a conduzir. Só me chateio a sério quando quase me "batem"! Já fora da minha viatura o cenário muda de figura!

anf disse...

eu agora a conduzir apanhei o hábito das buzinadelas,
beijinho

Pinkk Candy disse...

dizer palavrões, especialmente daqueles do norte é muito feio, ai malinha malinha xD

eu às vezes também me 'passava' no carro, mas sabes comecei a ouvir umas histórias de malucos, que sacam armas e pummm pummm, you are dead, e fiquei com mais receio, de vez em quando lá me esqueço disso, ehhh


xoxo

Malinha viajante disse...

Rainbow: Diz que sim, "que me pone de los nervios" ;)

Enfant: Sério? Claro que também me enervo fora mas continuo a falar sem palavrões (só quando estou sozinha é que depois me vingo lolol)
;)

Pinkk: Comigo é assim: curto e grosso ahahaah ou não digo nada ou desbarato! Mas atenção eu faço questão como referi em cima ao Enfant de me passar (grande parte das vezes) sozinha. Embora não estejamos nos States, já há muito maluco por aí e claro que não me aptece nada levar nenhum pumm pumm ;)

continuando assim... disse...

Vamos acelerar!!!

A pedido dos seguidores, e porque a história de Alice ainda só agora começou, vamos acelerar a publicação dos capítulos.

A partir de hoje , irei postar um capítulo por dia.

E porque toda a história é uma montanha russa, o final ...poderá ser uma surpreendente e motivadora surpresa.

Obrigada a todos os que me seguem.
Um convite especial para quem ainda não visitou a história de Alice
Mais logo o capítulo 7
lá no

... continuando assim...

bj
teresa

Anjo De Cor disse...

De vez em quando tb me sai alguns... mas tem que haver uma forta razão para tal, naõ sou mulher de andar de palavrão na ponta da lingua, acho isso horrivel para além de demostrar muita falta de educação...
Beijinhos*

Rita G. disse...

Eu tb me "passo" no trânsito, mas nunca me sai nada mais ofensivo que " Ó estúpido" ...não sei porquê nunca digo palavrões, não sai simplesmente! Bj:-)

Anónimo disse...

No trânsito também digo alguns quando me passo! É com cada anormal que aparece!!
*Beijinhos*