terça-feira, 9 de junho de 2009

"Tão veloz como o desejo"

São precisamente 22:07 e escrevo este post complemente a quente, nem 5 minutos passados sobre o fim da leitura. Crescer é realmente uma experiência sem igual. Não sabemos exactamente como é, o que nos espera até vivermos esse tempo, por muito que nos expliquem. Não é só o nosso físico que muda, é sobretudo o nosso espírito, a nossa alma. A nossa capacidade de sentir, de viver, de sonhar…
Posso dizer que falo por mim que até há poucos anos no meu próprio dicionário a palavra sentir, na sua verdadeira essência, ocupava um lugar muito pequenino e recôndito. Poucas são as pessoas que comigo convivem que alguma vez me viram chorar em público. Eu não me via (muitas vezes) a chorar comigo mesma, muito menos a ler um livro. E muito menos que esse livro fosse sobre uma grande história de amor. “Mas apostamos que no cinema já choraste?” Pois sim, confesso-me. Chorei em alguns filmes. E foi preciso chegar aos 24 anos criar este blog, ter passado em 2008 as passas do Algarve, para me descobrir a escrever estes textos sobre o mais profundo dos meus sentimentos. E não ser eu a única a tomar conhecimento deles.
E tudo isto e mais alguma coisa, para dizer à Laura Esquivel, que se por algum pequenino acaso da vida aqui vier ter que só assim devorei o livro e que quase ficou salpicado com as minhas lágrimas!

18 comentários:

Ana M. disse...

Muito sentimentalista hoje, o livro é forte.

beijinho malinha

Olhos Dourados disse...

Despertaste-me a curiosidade!

DANTE disse...

Ao preço a que estão os livros chorar para cima deles é um crime!
E além do mais não é xike ;P

Beijo :)

_Malinha viajante disse...

Ana M.: Diz que sim!! Demasiado até!!;PP

Menino Dante: Pois eu sei que não é chique, mas olhe fazer o quê?? hihi O livro não custou nada, foi oferecido!!;P

Saltos Altos Vermelhos disse...

é bom ler livros assim que nos desperta os sentimentos! ;)

Blog do Óbvio disse...

É muito bom colocar a sensibilidade para fora. Poucos o fazem hoje. Admiro quem faz isso. É uma emoção autentica. Parabéns. Beijinhos de sensibilidade. Manoel Eduardo - Brasil.

Anjo De Cor disse...

É lindo este livro, tens razão, gostei bastante...
Bjs* e bons feríados ;)

_Malinha viajante disse...

Blog do óbvio: Subscrevo inteiramente!! Bigada!!:))

DANTE disse...

Pior ainda!!! Podias vendê-lo como novo! ahahah

Ana Maria disse...

Aconteceu-me o mesmo quando li o livro..... Chorar faz bem, tal como rir. Mostra que sentimos.
Beijinhos

o dono do blog disse...

Estou em crer que estas últimas chuvadas fora de tempo, como diria o Zé Cabra - São lááááágrimas, são lááááágrimas que choras-te a ler um livro.
Agora faxavor de ler qualquer coisa menos "lamechas", porque vem aí o fim-de-semana grande e a malta quer ir pá praia.

Beijinho

pedropina disse...

ehhhhhhhhh
ja li esse livro ha tantos anos!
é mt bom sim senhor!
alias kuase todos os dela!
mas nada como o "como agua para chocolate"

ZaniNE disse...

Não connheço, e não costumo gostar detse género, mas acho que vou dar uma olhadela, pelo menos... Se é assim tão bom!?

Beijoquinha.

Dri Viaro disse...

Oi, passei pra conhecer seu blog, e desejar otimo feriado
bjs


aguardo sua visita :D

_Malinha viajante disse...

dono do blog: O que estou a ler está ali ao lado!! Não é muito lamechas, porque dois seguidos desta forma não pode ser!!;PP

pedropina: Esse ainda não li, mas já me disseram que era óptimo!!;P

Dri Viaro: Bigada pela visita, volta sempre!!:))

MimiRose disse...

Também chorei para xuxu com o livro ;)

Bisc8 disse...

Eu acho que quanto mais crescemos mais as coisas nos afectam mais, a nível sentimental. Será que é por nos apercebermos que o tempo não volta para trás?

Bjinhs :)

Carla disse...

Não conheço... mas fquei curiosa :)